Bonito News
Cotação

MS perde 1,3 mil vagas de trabalho, mas deve terminar 2016 com saldo positivo

Publicado em 30/12/2016 10:00 Editoria: Cidades News sem comentários Comente!


Mato Grosso do Sul encerrou o mês de novembro com saldo negativo na geração de empregos, com 1.396 postos formais de trabalho fechados. Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho.

Apesar do resultado negativo em novembro, no acumulado do ano Mato Grosso do sul tem saldo positivo, com saldo de 6.726 empregos formais e deve encerrar 2016 com mais contratações do que demissões, sendo o estado com melhor resultado no acumulado do ano.

Em novembro, foram contratadas 17.830 pessoas e demitidas 19.226. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, resultado é ligeiramente superior. Em novembro de 2015, foram fechados 1.949 postos de trabalho.

Dentro os 27 estados do país, Mato Grosso do Sul ficou em 15º lugar no ranking das unidades da federação com melhores resultados na geração de emprego.

Setores de atividade econômica que tiveram mais contratação do que demissão foram comércio, com saldo de 230 postos, construção civil (189) e serviços industriais de utilidade pública (6).

Já os que tiveram fecharam vagas foram serviços (- 833), agropecuária (- 495), indústria de transformação (- 487), administração pública (- 4) e extrativa mineral (- 2).

Entre os municípios do Estado com mais de 30 mil habitantes, apenas três tiveram resultado positivo, sendo Três Lagoas a cidade com maior número de contratações, com saldo de 988 postos de trabalho, seguido por Nova Andradina (15) e Amambai (1).

Campo Grande contratou 6.814 trabalhadores e demitiu 7.370, terminando novembro com 556 postos de trabalho a menos.

Apesar do resultado negativo em novembro, no acumulado do ano Mato Grosso do sul tem saldo positivo, com saldo de 6.726 empregos formais.

Em relação aos últimos 12 meses, Estado ainda acumula mais demitidos do que contratados, com saldo de redução de 958 postos de trabalho.

› FONTE: Bonito News (www.novo.bonitonews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: