Bonito News
Cotação

O Adeus a Pedro Pedrossian, o maior sonhador do MS

Publicado em 22/08/2017 23:00 Editoria: Cidades News sem comentários Comente!


Chegou ao fim por volta das 17h30 de onterm (22) a série de homenagens ao ex-governador de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Pedro Pedrossian, que morreu na madrugada de hoje aos 89 anos. O cortejo em carro aberto do Corpo de Bombeiros passou pelas principais obras do ex-governador na Capital e seguiu até o cemitério Parque das Primaveras, onde em cerimônia reservada a família sepultou o corpo de Pedro Pedrossian.

O cortejo teve início pouco depois das 16 horas. Parentes do ex-governador, entre eles Pedro Pedrossian Filho e Neto carregaram o caixão até a viatura dos Bombeiros. Duas bandeiras de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul cobriram o corpo de Pedro.

Do Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo até o cemitério no Jardim Parati, o cortejo passou por quatro das obras de Pedrossian. O Parque dos Poderes, das Nações Indígenas, a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e o Estádio Morenão foram “visitados” pela viatura e por poucos carros de familiares que acompanharam o cortejo.

Cerca de 30 minutos depois, o caixão chegou onde seria sepultado. Militares da Polícia Militar foram responsáveis por duas salvas de tiros que homenagearam o ex-governador.

Antes do enterro, parentes e alguns poucos políticos que acompanharam o sepultamento aplaudiram Pedro Pedrossian por quatro vezes. Cerca de 60 coroas de flores também homenagearam o político. O corpo foi enterrado por volta das 17h30, ao som de lágrimas dos parentes.

Luto

As repercussões da morte do ex-governador foram imediatas. Sessões da Câmara Municipal da Capital, da Assembleia Legislativa e expedientes do Tribunal de Justiça, do Governo do Estado e da Prefeitura foram suspensos e houve decretação de três dias de luto.

Além das declarações e lembranças de políticos do Estado, comitiva de Mato Grosso também veio à Capital, liderada pelo governador Pedro Taques (PSDB). Lideranças políticas como André Puccinelli (PMDB), Reinaldo Azambuja (PSDB) e Marquinhos Trad (PSD) também acompanharam o velório.

Cidades do interior do Estado, entre elas Miranda, município onde Pedrossian nasceu, também renderam homenagem ao ex-gestor com decreto de luto por três dias.

Obras

Pelas ruas da Capital e de Mato Grosso do Sul, as estrelas e outros simbolismos do governo Pedro Pedrossian permanecem fortes. Basta andar por uma das saídas de Campo Grande, para ver as grandes luminárias com o formato do astro. Um olhar mais atento, identifica as placas de inauguração das obras, que resistiram ao tempo. Grandes blocos de concreto com uma estrela vazadas.

Olhado de cima, parece que as pistas do Parque dos Poderes formam duas letras “P”, de Pedro Pedrossian. Há quem argumente o atual Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, batizado de Palácio Popular da Cultura, também seria uma marca dos dois “P”. Dizem também que o prédio da antiga rodoviária também teria um simbolismo.

 

or Campo Grande, não é difícil encontrar homenagem à família Pedrossian: Parque Residencial Maria Aparecida Pedrossian, Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, Hospital Rosa Pedrossian e até o Morenão, é Estádio Pedro Pedrossian.

 

O Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian foi inaugurado em 13 de maio de 1971, com o objetivo de oferecer suporte ao curso de Medicina da então Universidade Estadual de Mato Grosso (UEMT).

Quem foi ele

Por duas vezes, Pedrossian foi governador de Mato Grosso do Sul, deixando um legado de grandes obras para o Estado.

Pedro Pedrossian nasceu em Miranda, no então Estado de Mato Grosso, no dia 13 de agosto de 1928, filho de João Pedro Pedrossian e Rosa Mardini Pedrossian, ambos de origem armênia.

Após concluir os estudos secundários no Mato Grosso, o ex-governador decidiu se graduar em engenharia civil pela Universidade Mackenzie, em São Paulo. Concluídos os estudos, ele voltou para o Mato Grosso, como engenheiro residente da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, em Três Lagoas.

Após seguir carreira nas ferrovias de Campo Grande e de Bauru, foi eleito governador pelo então PSD, em 1965, para o Estado de Mato Grosso. Foi o candidato a governador mais votado em toda a história de Mato Grosso, com 109.905 votos.

Em 1971, perdeu o governo do Mato Grosso após a eleição de José Fragelli pela Assembleia Legislativa do Estado. Em 1978, foi eleito como senador, filiando-se em 1979 ao PSD.

Em 1980, após a deposição de Marcelo Miranda e Harry Amorim no governo de Mato Grosso do Sul, Pedrossian foi nomeado como governador do Estado pelo então presidente João Figueiredo, renunciando ao posto de senador até 1982.

Em 1991, foi reeleito para o posto de governador. Em 1998, Pedrossian tentou se reeleger para o governo. Seu nome não foi para segundo turno, e o ex-governador decidiu apoiar Zeca do PT, que se elegeu na época

› FONTE: Bonito News (www.novo.bonitonews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário

Digite as palavras abaixo: